Navigation

População suíça cresce apesar do aumento nos óbitos

O grande aumento do número de mortes está ligado à pandemia de Covid-19 Keystone / Martial Trezzini

Um total de 8.667.100 pessoas viviam na Suíça no final de 2020 - um aumento de 61.100 ou 0,7% em relação ao ano anterior.

Este conteúdo foi publicado em 06. abril 2021 - 17:03
Keystone-SDA/ts

Embora tenha havido 8.200 (12,1%) mais mortes do que no ano anterior e menos nascimentos, a migração líquida fez com que a população aumentasse, segundo números provisórios do Departamento Federal de Estatística (DFE) revelados na terça-feira.

Mais precisamente, houve uma diminuição significativa na saída de pessoas da Suíça. No total, entre o número de pessoas que saíram e as que vieram morar na Suíça, registrou-se um saldo de 56.000 pessoas a mais no país, mas em comparação com 2019 tanto a imigração quanto a emigração diminuíram em 3,9% e 15,6% respectivamente.

O grande aumento de mortes foi relacionado à pandemia de Covid-19, disse o DFE. As mortes de homens aumentaram mais do que as de mulheres, em 14,6% e 9,9% respectivamente.

Nenhuma declaração confiável ainda pode ser feita sobre o impacto da pandemia na taxa de natalidade, disse o órgão do governo federal. O número de nascimentos caiu ligeiramente de 86.200 em 2019 para 85.500. Destes, quase três quartos (72,4%) foram para pais casados. O número médio de filhos por mulher ficou em 1,46. 

Recorde mínimo para excedentes de nascimentos

O excedente de nascimentos - a diferença entre nascimentos e mortes - praticamente diminuiu pela metade em comparação com o ano anterior, de 18.400 para 9.500 pessoas. Este declínio se deveu principalmente ao aumento de mortes, de acordo com o serviço de estatísticas.

"Isto significa que o excedente de natalidade está em seu nível mais baixo desde 2004", observa o relatório. "Nos cantões de Ticino, Berna, Basileia-Campo, Basileia-Cidade, Neuchâtel, Grisões, Jura, Schaffhausen e Glarus, o excedente de nascimentos foi até negativo: mais pessoas morreram do que crianças nasceram".

Menos casamentos e divórcios ocorreram em 2020, o que foi "provavelmente relacionado com a pandemia da Covid-19".

Houve 34.900 casamentos, 10,4% abaixo do ano anterior. Enquanto 5,2% menos suíços ataram o nó, os casamentos estrangeiros ou mistos caíram 15% e 15,6% respectivamente.


Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.