AFP

Antonio Costa

(afp_tickers)

Portugal decretou três dias de luto nacional a partir deste domingo para homenagear as vítimas do pior incêndio florestal de sua história recente.

O fogo, que se declarou na tarde de sábado na localidade de Pedrogao Grande, a 50 km de Coimbra, deixou por ora 62 mortos e mais de 50 feridos.

"Infelizmente, esta é, sem dúvida, a pior tragédia que conhecemos nesses últimos anos em termos de incêndios florestais", reconheceu o primeiro-ministro português Antonio Costa, na sede da Defesa Civil.

Cerca de 900 bombeiros e 220 veículos combatiam o fogo que causou as mortes, muitas das vítimas carbonizados no interior de seus veículos.

AFP

 AFP