Navigation

Programa "dopa" legalmente os atletas

Um movimento atlético decomposto com a nova tecnologia. Dartfish

Uma tecnologia desenvolvida por uma pequena empresa suíça está sendo usada para melhorar o desempenho de atletas no JO de Atenas.

Este conteúdo foi publicado em 03. agosto 2004 - 11:12

Trata-se de um programa de computador que decompõe as imagens que já é utilizado por 90% das equipes olímpicas americanas.

O nome da empresa é desconhecido da grande maioria dos telespectadores. Mas os fãs de esportes certamente já viram a tecnologia da Dartfisch, uma pequena empresa suíça altamente especializada.

Sua primeira invenção, o SimulCam, está sendo utilizada pelos canais de televisão desde o final dos anos 90. Ela permite superpor a trajetória de vários esportistas em competição, por exemplo para ver quem chegou na frente. É utilizada do esqui à fórmula 1.

Apesar do sucesso, o SimulCam representa atualmente apenas 15% do faturamento da empresa instalada no cantão de Fribourg.

Uma tecnologia acessível

A mina de ouro atual da Dartfish é um outro programa, ou melhor, uma combinação do SimulCam com o Stromotion, que produz uma imagem estroboscópica dos movimentos de um atleta.

A nova tecnologia não requer grandes instalações, apenas uma câmera vídeo e um computador portátil. Com o novo programa, é possível superpor cada seqüência do movimento de um atleta durante os treinos, o que permite melhorar a técnica.

A grande vantagem, segundo Jean-Marie Ayer, é a simplicidade. "Esperamos que nosso produto possa melhorar o desempenho dos atletas. É uma técnica perfeitamente legal", explica o diretor executivo da Dartfish.

De fato, o programa já é utilizado por 5 mil esportistas de alto nível e a empresa esperar aumentar as vendas com os Jogos Olímpicos de Atenas.

A empresa também diversifica o produto para chegar ao setor da educação. Na Grã-Bretanha, 350 escolas secundárias adotaram o programa para melhorar a aprentizagem do esporte.

Uma boa vitrine

Ao mesmo tempo, a empresa suíça continua vendendo seu primeiro programa, o SimulCam, uma espécie de cartão de visita. Em Atenas, 7 canais de televisão utilizam o programa.

"Nossa presença em Atenas atinge os técnicos e isso permitirá vender nosso novo produto", afirma o diretor da Dartfish. Mas o próprio SimulCam ainda tem potencial de crescimento.

"Recebemos um grande número de pedidos de diretores de tv para atualizá-lo" mas não estamos conseguindo atender a todos, confirma o executivo.

swissinfo, Scott Capper
tradução: Claudinê Gonçalves

Breves

- A Dartfish foi criada em 1998 no cantão de Fribourg.

- Quase 18 milhões de francos suíços já foram investidos.

- Ele começa a ter lucro este ano.

- Em 2004, as vendas totalizarão 7,5 milhões de francos

- Ele emprega 25 poessoas, entre elas 8 nos USA.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?