Leitos em UTIs podem lotar em uma semana

Enfermeira do Hospital Universitário de Genebra mostra como funciona um leito de unidade de terapia intensiva. Keystone

A Suíça deverá ficará sem leitos de terapia intensiva no dia 2 de abril devido à progressão da pandemia do coronavírus, segundo um estudo do Instituto Federal de Tecnologia ETH Zurique. Calcula-se que o déficit de UTIs em todo o país chegue por volta das mil unidades. 

Este conteúdo foi publicado em 27. março 2020 - 16:41
Keystone-SDA/ts

Levando em conta o número atual de leitos em unidades de terapia intensiva, estimado em 979, e o número de mortes ligadas ao Covid-19, "nosso último relatório sugere que o sistema está próximo da saturação, com base nos dados disponíveis", disse Thomas Van Boeckel, do departamento de ciência de sistemas ambientais da ETHZ e co-autor do relatório. 

Além do cantão do Ticino, a capacidade de camas já encontra-se no limite nos cantões de Vaud, Genebra, Valais e Grisões, disse ele na sexta-feira, em entrevista ao diário La Liberté e aos jornais parceiros. "Segundo os nossos modelos, chegaremos a uma escassez [maior] no dia 2 de abril". 

A partir desta data, se não forem tomadas medidas em tempo (leia-se: já), podem faltar 86 lugares só em Zurique, disse ele. "A falta de leitos também seria sentida em Berna e Solothurn. A situação poderia piorar muito no Valais com mais de 250 casos excedentes" - ou 1.000 em toda a Suíça, acrescentou ele. 

Van Boeckel destacou que esta é uma estimativa, que não se baseia nos dados que os hospitais são obrigados a apresentar ao governo desde 13 de março. 

Leitos que ainda estão disponíveis no norte, centro e leste da Suíça, assim como nos grandes hospitais das cidades, poderiam absorver parcialmente o excedente de pacientes dos cantões de Vaud e Ticino, calcula Van Boeckel.

Passada a marca das 200 mortes 


Os pesquisadores da ETH Zurique reconstruíram os prováveis casos agudos de Covid-19 a serem esperados com base nos dados da Sociedade Suíça de Medicina Intensiva, no número de mortes no cantão de Zurique, e em números do www.corona-data.ch, utilizando modelos de equações diferenciais. 

Até 27 de março, quase 12.000 pessoas haviam testado positivo para o Covid-19 na Suíça e por volta de 200 pessoas haviam morrido.

Conteúdo externo


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo