Queijo tóxico pode ter matado dez pessoas

Keystone / Laurent Gillieron

Foi aberto um processo criminal contra um queijeiro no centro da Suíça, após uma série de mortes ligadas a intoxicação por listeria.

Este conteúdo foi publicado em 29. agosto 2020 - 08:30
Keystone-SDA/dos

O queijeiro é suspeito de homicídio negligente e lesão corporal, além de violar a Lei Federal de Alimentos, disse o Procurador Geral do cantão Schwyz na quinta-feira.

O queijo Brie infectado pelo patógeno listeria foi supostamente vendido durante um período de dois anos pelo produtor, que desde então fechou.

O queijeiro deu o alarme em maio, quando aconselhou os clientes a não vender mais o produto. Ele também informou o Departamento Federal de Segurança Alimentar.

A análise encomendada pelo governo federal estabeleceu então uma ligação entre o queijo e uma série de doenças que remontam a 2018, disse a Procuradoria Geral da República de Schwyz. Cerca de 34 casos em dois anos foram registrados, sendo que dez destes 34 pacientes morreram.

Isto inclui quatro pacientes no Hospital Valais em Sion que ficaram infectados após comerem o queijo entre março e maio deste ano. Um dos pacientes, que tinha uma forma grave de câncer, morreu.

A listeria, uma bactéria de origem alimentar, é particularmente perigosa para aqueles com sistemas imunológicos fracos e para as mulheres grávidas e recém-nascidos. Aqueles com sistemas imunológicos fortes raramente são seriamente afetados.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo