Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Rússia se classifica e vai enfrentar Holanda

O russo Arshavin acaba de marcar o segundo gol da Rússia

(Keystone)

A Suécia precisava apenas do empate para se classificar para as quartas-de-final pelo grupo D, mas quem se classificou foi a Rússia com uma vitória de 2 a 0.

No outro jogo do Grupo D, em Salzburgo, a Espanha, já classificada e com uma equipe B, venceu a Grécia por 2 a 1. A Grécia, campeã em 2004 em Portugal, sai pela porta dos fundos em último lugar da Europoca deste ano, com três derrotas em três partidas.

A Rússia é a última equipe a se classificar para as quartas-de-final e vai enfrentar a Holanda, no próximo sábado, em Basiléia. A vitória dos russos foi merecida e poderia ter sido por um placar mais amplo. A Suécia, estática, pesada e sem imaginação, jamais ameaçou igualar ou virar o marcador.

Desde o primeiro tempo, a Suécia, que se classificaria com um empate, escolheu jogar bem compacta na defesa deixando a iniciativa do jogo aos russos. Quando podiam, os suecos lançavam bolas longas para os dois atacantes, Larson e Ibrahinovic.

Mais técnica

Os russos, mais técnicos e mais rápidos, jogavam curto, monopolizando a bola praticamente em todo primeiro tempo. Do meio-campo para a frente, criavam jogadas interessantes, mas tinham dificuldade em finalizar.

A primeira oportunidade dos russos surgiu aos 20 minutos. Numa jogada ensaiada na cobrança de escanteio pela direita, a bola atravessou a área para o lateral esquerdo Zirkhov emendar, passando de raspão na trave sueca.

O primeiro gol surgiu aos 24 minutos, numa jogada de um só toque-de-bola para a conclusão do atacante Pavlyuchenko. Curiosamente, a Suécia não mudou sua maneira de jogar, preferindo continuar tentando empatar num contra-ataque. Os russos, portanto, continuaram dominando até o final do primeiro tempo.

Poderiam ter marcado mais

Na volta dos vestiários, os russos perceberam que a Suécia não mudaria. Aos 5 minutos, em jogada coletiva - o ponto forte dos russos - novamente o lateral esquerdo Zirkhov tocou para Arshavin, considerado o melhor jogador russo atualmente, que empurrou para marcar o segundo gol.

Daí para a frente, os suecos tentaram atacar desordenadamente e sem muita convicção, abrindo ainda mais espaços para os russos, que desperdiçaram várias possibilidades de ampliar o marcador.

A vitória da Rússia, portanto, foi amplamente merecida. No próximo sábado, os russos enfrentam a Holanda, em Basiléia. Além da partida, haverá ainda um duelo de técnicos. O holandês Guus Hiddink, apelidado de "milagreiro", é treinador da Rússia e, evidentemente, conhece perfeitamente o futebol de seu país. Ele já conseguiu um milagre com a equipe russa, que nunca havia vencido a Suécia.

Espanha B derrota Grécia

Quatro anos atrás, em Portugal, a Grécia foi campeã da Europa. Agora, ela saiu da Eurocopa 2008, como a pior das equipes, com três derrotas. Passou do paraíso ao inferno.

A receita grega do técnico alemão Otto Rehhagel - marcar um gol e defender - desta vez não foi suficiente. Contra a Espanha até parecia que podia dar certo. Numa bola parada, a defesa espanhola falhou na marcação e Karagounis marcou de cabeça.

Já classificada, a Espanha só entrou em campo com um titular (Iniesta), mas dominou praticamente toda a partida. Mas é preciso reconhecer que os "reservas" espanhóis jogam nos grandes clubes europeus, embora lhes falte ritmo de jogo na seleção de Luis Aragones.

Os espanhóis perderam várias oportunidades de marcar. De la Red empatou aos 18 do primeiro tempo numa bela jogada de conjunto do ataque espanhol. A dois minutos do término do tempo regulamentar, Guiza aproveitou uma falha de marcação da defesa grega para colocar a Espanha em vantagem.

A Espanha termina a primeira fase, portanto, com três vitórias e nove pontos.
Com toda a equipe titular poupada contra a Grécia, ela tem encontro marcado com a Itália, domingo em Vienna, pelas quartas-de-final.

swissinfo, Claudinê Gonçalves

Rússia 2 X 0 Suécia

Rússia : Akinfeev - Anyukov, Ignashevich, Kolodin, Zhirkov - Semak, Semshov - Zyryanov, Arshavin, Bilyaletdinov - Pavlyuchenko (Bistrov)

Técnico: Guus Hiddink

Suécia: Isaksson - Stoor, Mellberg, Hansson, M. Nilsson - Elmander, D. Andersson (Karstron), A. Svensson, Ljungberg - Ibrahimovic, H. Larsson
Técnico: Laars Lagerbäck

Data: 18/06/2006
Local: Innsbruck, Áustria
Público: 30 mil (lotado)
Árbitro: Frank de Bleeckere (Bélgica)
Assistentes: Verstraeten (Bélgica); Jakobsson (Islândia)

Gols Pavlyuchenko (24 miin. 1° T)
Cartões amarelos:Isaksson(S); Elamnder (S); Korolin (R); Semak (R)

Aqui termina o infobox

Grécia 1 X 2 Espanha

Grécia : Nikopolidis - Vyntra, Dellas, Kyrgiakos (Antzas), Spiropoulos - Basinas, Katsouranis, Karagounis (Tiziolis) - Salpingidis (Giannapolos), Charisteas, Amanatidis

Técnico: Otto Rehhagel

Espanha: Reina - Arbeloa, Albiol, Juanito, Fernando Navarro - Xabi Alonso - Santi Cazorla (Iniesta), de la Red, Fabregas - Sergio Garcia, Guiza
Técnico: Luis Aragones

Data: 18/06/2006
Local: Salzburo, Áustria
Público: 30 mil (lotado)
Árbitro: Houward Webb (Inglaterra)
Assistentes: Mullarkey (Inglaterra); Lannoy (França)

Gols:Charisteas (42 min.1° T); De la Red (16 min. 2° T); Guiza (44 min. 2° T)
Cartões amarelos:Arbeloa (E); Navarro(E)

Aqui termina o infobox

×