Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Reguladores decepcionados Credit Suisse não coopera contra lavagem de dinheiro

logotipo do banco Credit Suisse

"Deixa muito a desejar", diz a agência reguladora FINMA sobre os esforços do Credit Suisse para operar de maneira limpa. 

(© KEYSTONE / WALTER BIERI)

O banco suíço Credit Suisse não cumpriu suas obrigações de evitar lavagem de dinheiro, diz a autoridade de supervisão financeira da Suíça.

De acordo com a FINMA, Autoridade de Supervisão do Mercado Financeiro, a má conduta está relacionada aos supostos casos de corrupção em torno da Fifa, órgão regulador do futebol mundial, e das empresas petrolíferas Petrobas e a venezuelana PDVSA. Outro caso envolve um relacionamento comercial significativo com uma personalidade política em evidência.

Em dois processos o banco, o segundo maior da Suíça, a FINMA constatou deficiências nas medidas exigidas para que os bancos cumpram os regulamentos contra lavagem de dinheiro.

Como a FINMA anunciou na segunda-feira, a má conduta envolvendo a FIFA e as petrolíferas Petrobras (brasileira) e PDVSA (venezuelana) durou anos, principalmente antes de 2014.

Entre outras coisas, isso envolveu a não identificação da parte contratante, a determinação do beneficiário efetivo, a categorização como uma relação comercial com risco aumentado, bem como o esclarecimento necessário sobre o aumento do risco e sua plausibilidade.

O segundo caso diz respeito a um relacionamento comercial significativo com uma pessoa politicamente exposta (mas identificada no relatório apenas com a sigla em inglês, PEP), diz a FINMA.

“O banco era muito lento para identificar e tratar o cliente PEP como representando riscos crescentes. Além disso, as medidas de diligência (contra lavangem de dinheiro) e a documentação correspondente ao relacionamento comercial estavam incompletas. O banco falhou em cumprir suas obrigações com relação a investigações, verificações de plausibilidade e documentação sobre o cliente e certas transações de alto risco relacionadas ”, escreveu a FINMA em um comunicado.

Próximos passos

A FINMA tomou medidas para melhorar a política de combate à lavagem de dinheiro e para garantir que o banco implemente correções mais rapidamente. Um auditor independente analisará a implementação e o impacto das medidas.

Em conexão com os alegados casos de corrupção, desde 2015 a FINMA tem investigado vários bancos para ver se os seus clientes estiveram envolvidos e se os bancos cumpriram os regulamentos de supervisão.

Em uma declaração sobre as conclusões da FINMA, o Credit Suisse disse que “encomendou revisões independentes da conduta em questão, autorrelatou as deficiências e cooperou com a FINMA ao longo do processo, tomando medidas proativas de remediação”.

O Credit Suisse acrescentou que foi "grato à FINMA por seu reconhecimento das melhorias que foram feitas em nossa estrutura de conformidade e controle nos últimos anos" e apontou que, como resultado da revisão, a FINMA não havia "imposto qualquer multa no Credit Suisse, não ordenou qualquer restituição de lucros nem qualquer limitação de atividades comerciais. ”


swissinfo.ch/ets

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.