Navigation

"Gelo por todo lado": 2,7 milhões de moradias no Texas ficam sem energia devido ao frio

Brett Archibad ajuda seu filho a edificar uma casinha de gelo, em Pflugerville, Texas, 16/02/2021 Ricardo B. Brazziell/American-Statesman/USA Today Network via REUTERS reuters_tickers
Este conteúdo foi publicado em 17. fevereiro 2021 - 22:33

Por Go Nakamura

HOUSTON (Reuters) - Milhões de texanos iniciaram seu terceiro dia sem aquecimento na esteira de uma tempestade de inverno cruel que matou ao menos 21 pessoas, e a presença do gelo ameaça causar transtornos no segundo maior Estado norte-americano e na região próxima durante dias.

Cerca de 2,7 milhões de moradias do Texas ainda estavam sem energia, de acordo com o Conselho de Confiabilidade Elétrica do Texas (Ercot), cooperativa responsável por 90% da eletricidade estadual que vem sendo cada vez mais criticada por causa dos blecautes.

Laura Nowell, que tem 45 anos e mora em Waco com os quatro filhos, disse que sua família está sem eletricidade desde antes do amanhecer de segunda-feira e vem tentando se aquecer se revezando dentro do carro por períodos curtos.

"Nunca tivemos tanto frio. Há gelo por toda parte", disse Nowell, acrescentando que estava frustrada com a falta de comunicação sobre apagões contínuos para conservar a rede elétrica. "Diga-me o que está acontecendo. Está um silêncio."

O Serviço Nacional do Clima disse que a precipitação de neve e o acúmulo de gelo provavelmente terminariam perto do meio-dia desta quarta-feira no norte do Texas, oferecendo algum alívio, mas manteve um alerta de tempestade de inverno em vigor até as 20h e avisou que temperaturas baixas recordes continuarão durante dias.

Além disso, uma frente fria responsável pela neve e chuva congelante que paralisaram a região estava se movendo para o leste e um forte acúmulo de gelo era esperado em partes do Texas, no vale do Baixo Mississippi, na Virgínia e na Carolina do Norte na noite de quarta-feira.

O mercado de energia desregulamentado do Texas oferece poucos incentivos financeiros para as prestadoras de serviço se prepararem para a onda rara de frio intenso, dizem críticos há anos.

(Por Go Nakamura em Houston, Susan Heavey em Washington, Peter Szekely em Nova York e Nathan Layne em Wilton, Connecticut)

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?