Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

KINSHASA (Reuters) - Combatentes milicianos na República Democrática do Congo decapitaram cerca de 40 policiais após uma emboscada, disseram autoridades locais neste sábado, o ataque mais grave contra forças de segurança desde que uma insurreição começou na região em agosto do ano passado. 

Militantes do Kamuina Nsapu atacaram os policiais na sexta-feira enquanto a caravana em que estavam ia de Tshikapa a Kananga. Membros da milícia roubaram armas e veículos, disse à Reuters Francois Kalamba, porta-voz da assembleia da província de Kasai.

A insurgência, espalhada em cinco províncias, representa a ameaça mais séria ao governo do presidente Joseph Kabila, que se recusou a deixar o cargo no fim de seu mandato constitucional em dezembro, o que gerou desordem no país. 

“Eles foram capturados por membros da milícia, que decapitaram cerca de 40 (policiais)”, disse Kalamba, acrescentando que a milícia poupou a vida de seis policiais que falavam a língua local tshiluba.

Mais de 400 pessoas foram mortas no onda de violência no Congo, de acordo com as Nações Unidas, e o governo disse na terça-feira que 67 policiais e muitos soldados perderam a vida em confrontos. 

(Por Aaron Ross)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters