Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Refugiado rohingya, que estava em um barco que naufragou a caminho de Bangladesh, espera para ser transportado para campo de refugiados, perto de Cox's Bazar 31/10/2017 REUTERS/Adnan Abidi

(reuters_tickers)

COX'S BAZAR, Bangladesh (Reuters) - Quatro muçulmanos rohingyas, um homem, uma mulher e duas crianças, se afogaram quando um pequeno barco pesqueiro de madeira que transportava dezenas de refugiados em fuga da violência étnica em Mianmar naufragou no litoral de Bangladesh nesta terça-feira, disse a polícia.

Pessoas que moram na faixa litorânea ao sul do porto de Cox's Bazar, em Bangladesh, resgataram 37 sobreviventes no mar, e 11 foram hospitalizados em estado grave, disse Mohammad Abul Khair, policial encarregado da delegacia de Ukhiya.

O barco virou no mar agitado durante uma chuva. De acordo com sobreviventes, os passageiros pagaram o equivalente a 37 dólares para serem levados a Bangladesh depois de abandonarem seus lares em Buthidaung, região do Estado de Rakhine, no norte de Mianmar, assolado por conflitos.

Em um incidente separado no extremo sul do distrito de Cox's Bazar, três crianças rohingyas morreram afogadas após escorregaram dos braços da mãe quando o barco em que viajavam de Mianmar para Bangladesh chegou ao destino, de acordo com a polícia local.

Mais de 600 mil rohingyas já fugiram para a vizinha Bangladesh desde que os militares da majoritariamente budista Mianmar iniciaram uma operação em resposta a ataques de militantes rohingyas a postos de segurança no final de agosto.

Autoridades da Organização das Nações Unidas (ONU) descreveram a ação dos militares como "faxina étnica", uma acusação que Mianmar nega.

Muitos dos refugiados rohingyas concluíram a perigosa travessia por mar e rio e chegaram a Bangladesh, que é predominantemente muçulmana, mas dezenas se afogaram na tentativa.

(Por Nurul Islam e Ruma Paul, em Daca)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters