Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Dan Williams
JERUSALÉM (Reuters) - Israel está "muito próximo" de fechar um acordo para a troca de prisioneiros com o Hamas, embora ainda não esteja claro quais palestinos serão libertados, disse um ministro do governo israelense na terça-feira.
Os líderes do Hamas estão no Cairo para avançar nas negociações mediadas por Egito e Alemanha, sob as quais Gilad Shalit, um soldado israelense mantido refém na Faixa de Gaza, seria libertado em troca de centenas de palestinos mantidos presos em cadeias israelenses.
Autoridades próximas às negociações disseram na segunda-feira que Israel havia concordado em incluir cerca de 160 prisioneiros que anteriormente se recusava a libertar. Os dois lados evitaram dar os nomes dos prisioneiros envolvidos no acordo.
Binyamin Ben-Eliezer, ministro da Indústria e Comércio de Israel, que não é membro do gabinete de segurança que delibera sobre a troca de prisioneiros, disse que um acordo pode ser fechado para a libertação de Shalit, que é uma causa célebre para os israelenses.
"Estou muito feliz de que este acordo esteja caminhando para ser concretizado num futuro próximo", disse Ben-Eliezer à Rádio do Exército.
Shalit foi capturado por militantes palestinos que entraram em Israel por meio de túneis construídos a partir da Faixa de Gaza em 2006. Líderes israelenses afirmam que não reduzirão um grande bloqueio à região até a libertação de Shalit.
(Reportagem adicional de Nidal al-Mughrabi em Gaza)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters