Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

BEIRUTE (Reuters) - Um cessar-fogo acordado entre Estados Unidos e Rússia para o sudoeste da Síria estava sendo cumprido horas depois de entrar em vigor neste domingo, disseram um órgão monitor e duas autoridades rebeldes, na mais recente tentativa internacional de fazer a paz na guerra de seis anos.

Os Estados Unidos, Rússia e Jordânia chegaram a um cessar-fogo e a um "acordo de desescalada" nesta semana, buscando pavimentar o caminho para uma trégua mais robusta e mais ampla.

O anúncio ocorreu após uma reunião entre o presidente norte-americano, Donald Trump, e o presidente russo, Vladimir Putin, na reunião do G20, grupo das maiores economias do mundo na Alemanha.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, grupo de monitoramento de guerra baseado no Reino Unido, afirmou que a "calma estava prevalecendo" sem ataques aéreos ou combates no sudoeste desde que a trégua começou ao mio-dia (6h no horário de Brasília) do domingo.  

"A situação é relativamente calma", disse Suhaib al-Ruhail, porta-voz do grupo rebelde Alwiyat al-Furgan na área de Quneitra.

Outra autoridade rebelde, na cidade de Deraa, afirmou que não houve combates significativos. Estava calmo na principal frente de Manshiya, próximo da fronteira com a Jordânia, onde ele afirmou ter sido local dos mais pesados bombardeios do Exército nas últimas semanas.

Uma autoridade síria indicou que Damasco aprovou o acordo de cessar-fogo, descrevendo o silêncio do governo sobre o assunto como um "sinal de satisfação".

"Nós saudamos quaisquer passos que cessariam o fogo e pavimentariam o caminho para soluções pacíficas", disse a autoridade do governo à Reuters.

Uma testemunha em Deraa afirmou não ter visto aviões de guerra no céu nem escutado qualquer combate desde o início do cessar-fogo.

 (Reportagem de Ellen Francis e Suleiman al-Khalidi)

Reuters