Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante encontro com líderes empresariais na Casa Branca 30/01/2017 REUTERS/Carlos Barria

(reuters_tickers)

GENEBRA (Reuters) - A agência de refugiados da Organização das Nações Unidas manifestou alarme nesta segunda-feira sobre a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de suspender a entrada de refugiados, afirmando que apenas esta semana 800 pessoas se preparavam para fazer dos EUA seu novo lar.

Estima-se que 20.000 refugiados em "circunstâncias precárias" seriam transferidos para os Estados Unidos durante os 120 dias cobertos pela suspensão anunciada na última sexta-feira, disse o alto comissariado da ONU para Refugiados (Acnur) em comunicado.

"Os refugiados estão ansiosos, confusos e com o coração partido por esta suspensão, no que já é um longo processo", afirmou.

"Aqueles aceitos para o reassentamento nos Estados Unidos, após um rigoroso processo de rastreamento de segurança dos EUA, estão chegando para reconstruir suas vidas com segurança e dignidade. O Acnur espera que eles possam fazê-lo o mais rápido possível", completou.

Na ação mais abrangente que adotou desde que assumiu no dia 20 de janeiro, Trump aprovou na sexta-feira uma proibição de quatro meses à entrada de refugiados nos EUA e sustou temporariamente o ingresso de viajantes da Síria e de seis outros países de maioria muçulmana.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

Reuters