Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

BERLIM (Reuters) - Autoridades do governo da Alemanha disseram que estão examinando cuidadosamente uma proliferação sem precedentes de itens noticiosos falsos, em meio a relatos da agência de inteligência sobre esforços russos para influenciar a eleição parlamentar do país em setembro.

A BfV, agência de inteligência interna, também confirmou que um ciberataque em dezembro contra a Organização pela Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) usou as mesmas ferramentas vistas numa ação hacker de 2015 contra o Parlamento alemão, atribuída ao grupo de hackers russo APT28.

A Rússia nega estar envolvida em ações do tipo contra governos e instituições ocidentais.

Steffen Seibert, porta-voz do governo, afirmou que a Alemanha usaria todos os meios possíveis para investigar o alastramento de notícias falsas na internet, acrescentando que a melhor resposta era uma maior transparência.

"Estamos lidando com um fenômeno de uma dimensão que não vimos antes”, declarou Seibert durante regular entrevista à imprensa.

No mês passado, a BfV disse que tinha visto uma ampla variedade de ferramentas de propaganda russa e “enorme uso de recursos financeiros” para realizar campanha de desinformação com o objetivo de desestabilizar o governo alemão.

(Reportagem de Andrea Shalal, Joseph Nasr e Andreas Rinke)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters