Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

BERLIM (Reuters) - O Procuradoria-Geral da Alemanha indiciou um cidadão alemão de 28 anos por assassinato, pertencer a grupo terrorista e cometer crimes de guerra pelo suposto papel desempenhado na execução de seis detidos pelo Estado Islâmico na Síria em 2015.

O homem, identificado como Harry S. em documentos do Judiciário, está preso desde que retornou à Alemanha em julho de 2015, pouco depois de procuradores afirmarem que ele participou das execuções na cidade síria de Palmira.

Um porta-voz do escritório do procurador-geral em Karlsruhe disse nesta terça-feira que o homem viajou para a Síria no início de abril de 2015 para se juntar ao Estado Islâmico.

"Em meados de junho de 2015 membros do Estado Islâmico mataram publicamente a tiros seis detido em um mercado na cidade síria de Palmira", afirmou o comunicado. "O acusado, que estava armado com uma pistola, pessoalmente levou um dos detido ao local da execução e impediu que os demais fugissem."

No ano passado o homem foi condenado a três anos de prisão após ser considerado culpado em um tribunal regional de pertencer a uma organização terrorista estrangeira e de violar leis sobre armas de guerra.

Estima-se que 820 pessoas saíram da Alemanha para combater ao lado de militantes na Síria e em outras zonas de guerra no Oriente Médio.

(Reportagem de Joseph Nasr)

Reuters