Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Chanceler alemã, Angela Merkel. 18/01/2017. REUTERS/Hannibal Hanschke

(reuters_tickers)

BERLIM (Reuters) - A Alemanha deve realizar sua eleição federal em 24 de setembro, em um pleito que terá a chanceler Angela Merkel em busca de seu quarto mandato e o partido anti-imigração Alternativa para Alemanha com possibilidade de entrar no Parlamento pela primeira vez.

O porta-voz do governo, Steffen Seibert, disse no Twitter que o gabinete havia sugerido essa data ao presidente, o qual tem a decisão final, mas tende a concordar com a proposta do governo.

Merkel enfrenta uma campanha de reeleição mais difícil do que antes, após permitir que um milhão de imigrantes do Oriente Médio, da África e de outros lugares entrassem no país nos últimos dois anos. 

Preocupações sobra a integração desses imigrantes e sobre segurança derrubaram sua popularidade e impulsionaram a ascensão do partido anti-imigração Alternativa para Alemanha, que deve conquistar votos suficientes para superar a barreira de 5 por cento e, assim, entrar no Parlamento federal.

Uma pesquisa feita para a revista alemã Stern, publicada nesta quarta-feira, colocou o bloco conservador de Merkel -os Democratas Cristãos e a União Social Cristã-- com 38 por cento das intenções de voto, alta de 1 ponto percentual. 

O Partido Social-Democrata, um parceiro menor da atual coalizão governista, também subiu 1 ponto, a 21 por cento, ao passo que o Alternativa para Alemanha caiu 1 ponto, para 11 por cento. 

Uma pesquisa publicada neste mês mostrou que a política para refugiados será a maior questão para os eleitores nestas eleições.

(Por Michelle Martin)

Reuters