Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ministra da Economia da Alemanha, Brigitte Zypries, durante entrevista com a Reuters, em Berlim 16/06/2017 REUTERS/Stefanie Loos

(reuters_tickers)

BERLIM (Reuters) - A ministra da Economia da Alemanha, Brigitte Zypries, pediu aos Estados Unidos nesta terça-feira que conversem com os europeus sobre os efeitos das sanções mais rígidas que pretendem adotar contra a Rússia, dizendo que empresas europeias não devem ser punidas.

A Casa Branca disse que o presidente Donald Trump irá assinar o projeto de lei das sanções, concebidas como uma resposta à suposta interferência russa na eleição presidencial norte-americana de 2016 e como uma punição adicional a Moscou por ter anexado a Crimeia da Ucrânia em 2014.

A União Europeia teme que as novas restrições dos EUA prejudiquem algumas de suas companhias, especialmente as envolvidas no setor energético.

"A ameaça dos Estados Unidos de também punir empresas europeias através das chamadas sanções extraterritoriais não é aceitável", disse a ministra. "Seria muito desejável que o governo dos EUA se sentasse conosco na mesa de negociação e acertasse uma solução aceitável para todas as partes", afirmou.

Ela também disse que a medida unilateral intensificou uma rixa diplomática, já que Moscou ordenou que os EUA retirem cerca de 60 por cento de seu pessoal diplomático da Rússia.

O governo e líderes empresariais da Alemanha dizem que as novas sanções poderiam impedir a participação de empresas alemãs em projetos de oleodutos que afirmam serem essenciais para a segurança energética do país.

(Por Gernot Heller)

Reuters