Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

CHICAGO (Reuters) - Meses após a publicação de um vídeo online de um passageiro da United Airlines sendo arrastado para fora de um avião se tornar viral e gerar críticas globais, autoridades do setor aéreo de Chicago disseram nesta quarta-feira que futuros distúrbios em aeroportos serão controlados pela polícia da cidade, e não autoridades da segurança da aviação.

A remoção forçada de um passageiro em 9 de abril para dar espaço a funcionários tentando voar para Louisville foi “completamente inaceitável”, disse Ginger Evans, comissária do Departamento de Aviação de Chicago, em relatório de 12 páginas. Outras alterações políticas destacadas no relatório incluem a remoção da palavra “polícia” de uniformes e veículos da segurança da aviação nos próximos meses. “A função deles é desempenhar funções da segurança, não funções policiais”, disse Evans no relatório. Um programa atualizado de treinamento para segurança da aviação também será desenvolvido, de acordo com o relatório. David Dao, um médico vietnamita-americano de 69 anos, foi ferido quando a segurança da aviação de Chicago o arrastou do voo 3411 da United no Aeroporto Internacional O’Hare. Dao e a United entraram em acordo sobre a questão. Os termos do acordo não foram divulgados. Em maio, Evans pediu desculpas pelo comportamento dos funcionários de seu departamento e disse a um subcomitê de comércio do Senado dos Estados Unidos como a maneira que a questão de Dao foi controlada foi “profundamente entristecedora e pessoalmente ofensiva”.

(Reportagem de Suzannah Gonzales)

Reuters