Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Chanceler da Alemanha, Angela Merkel, em Berlim. 30/05/2017 REUTERS/Hannibal Hanschke

(reuters_tickers)

BERLIM (Reuters) - O apoio aos conservadores da aliança da chanceler alemã, Angela Merkel, aumentou para 40 por cento, o nível mais alto desde setembro de 2015, em uma pesquisa realizada pelo instituto Forsa para a revista Stern e para a emissora RTL, da Alemanha.

O adversário Partido Social-Democrata (SPD) permaneceu inalterado com apoio de 23 por cento, enquanto os Verdes ganharam 1 ponto percentual e subiram para 9 e o anti-imigrante Alternativa para a Alemanha (AfD) ficou inalterado em 7 por cento, disse o Forsa.

O partido de extrema-esquerda Linke perdeu 1 ponto e foi a 9, enquanto o pró-mercados Democratas Livres caiu 1 ponto percentual, para 7, na pesquisa com 2.502 eleitores realizada entre 19 e 23 de junho.

O levantamento mostrou os democratas-cristãos, de Merkel, com o maior apoio desde setembro de 2015, pouco após a decisão de Merkel de abrir as portas para mais de 1 milhão de imigrantes, a maioria do Oriente Médio e do Afeganistão.

O Forsa disse que 52 por cento dos entrevistados apoiariam Merkel para um quarto mandato caso a chanceler seja eleita diretamente, uma queda de 1 ponto percentual, em comparação com os 22 por cento, sem alteração, que apoiariam o líder do SPD, Martin Schulz, o ex-presidente do Parlamento Europeu.

A pesquisa tem margem de erro de 2,5 pontos percentuais.

(Reportagem de Andrea Shalal)

Reuters