Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Apresentadores da MSNBC Joe Scarborough e Mika Brzezinski, em Washington. 25/04/2015 REUTERS/Jonathan Ernst

(reuters_tickers)

Por Doina Chiacu

WASHINGTON (Reuters) - Dois apresentadores de televisão criticados pelo presidente norte-americano, Donald Trump, questionaram a saúde mental do líder republicano e o acusaram de tentar pressioná-los devido à cobertura desfavorável.

Trump recebeu duras críticas na quinta-feira, incluindo de seus colegas republicanos, após chamar Mika Brzezinski, a co-apresentadora do programa "Morning Joe" da MSNBC, de "baixo Q.I. Mika Louca" e de sugerir que ela estava com um sangramento em consequência de uma cirurgia plástica no rosto quando visitou sua propriedade em Mar-A-Lago no ano novo.

Ele se referiu a seu co-apresentador Joe Scarborough, um ex-parlamentar republicano, de "Psicótico Joe".

Os dois âncoras de TV, que tinham um relacionamento amigável com Trump no início da campanha presidencial de 2016, mas que têm sido críticos de seu governo desde que ele assumiu o cargo, responderam com uma coluna no jornal The Washington Post nesta sexta-feira.

"Esse ano, membros graduados da equipe da Casa Branca nos avisaram que o National Enquirer estava planejando publicar um artigo negativo sobre nós a não ser que nós implorássemos para que o presidente derrubasse a matéria. Nós ignoramos os apelos desesperados deles", escreveram.

Scarborough acrescentou no programa "Morning Joe" desta sexta-feira que recebeu ligações de três autoridades graduadas do governo pedindo para que ele ligasse para Trump para se desculpar pela cobertura de seu governo. Eles disseram que se ele ligasse e pedisse desculpas, Trump iriam "matar" a matéria, disse Scarborough.

"As ligações continuaram e continuaram. E eles diziam 'Ligue, você precisa ligar. Por favor ligue. Por favor, Joe. Só pegue o telefone e ligue para ele'", disse Scarborough. "Isso é chantagem", disse Donny Deutsch, participante do programa da MSNBC.

Em uma publicação no Twitter nesta sexta-feira, Trump negou a alegação, dando uma versão diferente do que aconteceu em relação à matéria do National Enquirer.

"Assisti o programa de baixo nível @Morning_Joe pela primeira vez em muito tempo. Notícias falsas. Ele me ligou para impedir um artigo do National Enquirer. Eu disse não! Péssimo programa", escreveu.

Não houve nenhum comentário imediato do National Enquirer. O tablóide é especializado em histórias escandalosas sobre celebridades e tem apoiado Trump.

Na coluna do Washington Post, Brzezinski e Scarborough disseram que Trump é desequilibrado mentalmente, afirmando que ele tem uma "obsessão doentia" com o programa de televisão.

Reuters