Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

CAIRO (Reuters) - Arqueólogos suecos descobriram uma dúzia de cemitérios antigos perto da cidade de Aswan, sul do Egito, que datam de quase 3.500 anos e remetem à época do Novo Império, informou nesta quarta-feira o Ministério de Antiguidades. 

Restos humanos e animais foram descobertos nos cemitérios, descobertos na cadeia de montanhas Gabal al-Silsila, a 65 quilômetros ao norte de Aswan. Os locais teriam sido usados durante os reinados dos faraós Tutmés III e Amenhotep II.

Espera-se que os cemitérios ajudem historiadores a compreender melhor a saúde do Egito antigo e a impulsionar a indústria de turismo local, que tem sofrido em meio a tumultos políticos e ataques de militantes desde a queda do ditador Hosni Mubarak, em 2011.

Alguns dos cemitérios eram destinados para animais e continham uma ou duas câmaras tanto com caixões de pedra quanto de barro, ou feitos de cartonagem, disse em comunicado Mahmoud Afify, chefe do ministério. Totens e escorpiões também foram encontrados.

A expedição da Universidade de Lund, na Suécia, começou em 2012. Ela descobriu os restos de um antigo templo também em Gabal al-Silsila.

Exames iniciais revelaram diversos cadáveres completos, assim como evidências de desnutrição e ossos fraturados resultado de trabalho pesado, segundo o ministério.

(Por Ahmed Aboulenein)

Reuters