Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente da Síria, Bashar al-Assad. 07/02/2017 SANA/Handout via TPX

(reuters_tickers)

AMÃ (Reuters) - O presidente da Síria, Bashar al-Assad, disse que o fato de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, priorizar a luta contra jihadistas do Estado Islâmico é promissor, embora seja cedo para esperar quaisquer ações práticas, relatou nesta terça-feira a agência de notícias estatal síria.

Trump indicou que pode cortar apoio norte-americano a rebeldes sírios e pode ajudar a Síria na luta contra o Estado Islâmico.

O republicano fez do confronto contra o Estado Islâmico uma meta de sua Presidência e assinou um decreto presidencial pedindo que o Pentágono, chefes-de-Estado das Forças Armadas e outras agências enviem dentro de 30 dias um plano preliminar de como proceder.

Assad disse, segundo a agência estatal Sana, a um grupo de repórteres belgas: "Acredito que isto seja promissor, mas temos que aguardar e é muito cedo para esperar qualquer coisa prática".

Em publicação no Twitter na segunda-feira, Trump disse: "A ameaça do terrorismo radical islâmico é muito real, olhem o que está acontecendo na Europa e Oriente Médio. Tribunais precisam agir rapidamente!".

Assad também disse, segundo a agência, que cooperação entre Rússia e EUA na luta contra militantes teria repercussões positivas.

(Reportagem de Suleiman Al-Khalidi, em Amã, e Ahmed Tolba, no Cairo)

Reuters