Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente da Síria, Bashar al-Assad, cumprimenta seus apoiadores durante orações do Eid al-Adha em mesquita na cidade de Qara, ao norte de Damasco 1/9/2017 SANA/Handout via Reuters

(reuters_tickers)

BEIRUTE (Reuters) - O presidente da Síria, Bashar al-Assad, orou nesta sexta-feira na cidade de Qara, próxima de um enclave retomado de combatentes do Estado Islâmico na segunda-feira, para comemorar o festival muçulmano do Eid al-Adha.

Confinado em Damasco durante longos períodos no início da guerra civil síria de seis anos, Assad ganhou mais confiança para viajar a áreas controladas pelo governo à medida que o Exército e seus aliados têm obtido uma série de vitórias.

A televisão estatal mostrou Assad de pé e ajoelhado em um tapete verde em uma mesquita lotada ao lado de líderes religiosos sírios e acompanhando o imã com suas orações.

Com a partida do Estado Islâmico e de outros grupos de Qalamoun, no oeste, a fronteira com o Líbano é a primeira da Síria a ser totalmente controlada pelo Exército desde o começo do conflito.

Os combatentes do Estado Islâmico que se retiraram do distrito continuavam presos em um comboio nesta sexta-feira, dois dias depois de a coalizão liderada pelos Estados Unidos contra os jihadistas usar ataques aéreos para impedir que o grupo cruzasse para o principal território dos militantes no leste sírio.

Qara fica a poucos quilômetros das montanhas pálidas e secas que delineiam a divisa com o Líbano, ao longo da qual o Estado Islâmico e outros grupos militantes ocuparam territórios até agosto.

Os insurgentes do Estado Islâmico isolados no bolsão fronteiriço aceitaram uma trégua e um acordo de retirada depois de ofensivas simultâneas, mas separadas, do Exército libanês em uma frente e do Exército sírio e do Hezbollah em outra.     

Parte da troca combinada ocorreu na quinta-feira, quando combatentes feridos do Estado Islâmico foram trocados pelos corpos de membros das forças pró-governo, mas o destino da maior parte do comboio é incerto desde que a coalizão disse que viu os ônibus voltando a territórios comandados pelo governo sírio ainda na quinta-feira.

A frente de batalha entre as forças do governo da Síria e o Estado Islâmico no leste do país continua ativa, e o Exército, auxiliado por caças russos e milícias xiitas apoiadas pelo Irã, está levando adiante uma ofensiva para socorrer seu enclave sitiado de Deir al-Zor.

Nesta sexta-feira uma fonte militar síria disse que o Exército e seus aliados fizeram progressos contra o Estado Islâmico naquela área e também tomaram vários vilarejos de um enclave jihadista no centro da Síria.

(Por Angus McDowall)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










Reuters