Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Daniela Desantis

ASSUNÇÃO (Reuters) - Um grupo formado por dezenas de pessoas usou explosivos para assaltar na madrugada desta segunda-feira um edifício da empresa de segurança patrimonial Prosegur em Ciudad del Este, no Paraguai, em um ataque que deixou um policial morto e gerou uma perseguição que se estendeu até o Brasil, onde três suspeitos foram mortos, informaram autoridades.

De acordo com o Ministério do Interior paraguaio, além dos três mortos, pelo menos quatro suspeitos foram detidos durante uma operação na cidade fronteiriça de Foz do Iguaçu, no Paraná, na tarde desta segunda-feira.

O ministro do Interior, Lorenzo Lezcano, disse que o assalto resultou de uma operação bem planejada com a participação de 40 s 50 pessoas, supostamente de nacionalidade brasileira e integrantes de uma facção criminosa.

"Estamos trabalhando em coordenação com a Polícia Federal (do Brasil) para chegar aos assaltantes... foi um assalto perpetrado mediante operação bem planejada. Contavam com armas e explosivos potentes", disse Lezcano.

Um relatório interno da polícia disse que 15 carros foram incendiados durante o assalto e outros quatro foram abandonados depois do ataque, do qual teriam participado integrantes do chamado Primeiro Comando da Capital (PCC), uma das maiores organizações criminosas do Brasil.

Em comunicado, o governo brasileiro informou que o presidente Michel Temer determinou ao ministro da Justiça, Osmar Serraglio, que coloque a Polícia Federal à disposição das autoridades paraguaias para colaborar com as investigações.

"O governo federal acompanha os desdobramentos das ações policiais já em curso em território nacional e apoiará, com todos os recursos necessários, as investigações conduzidas atualmente pelas autoridades paraguaias", disse a nota da Presidência.

Já o presidente do Paraguai, Horacio Cartes, ordenou que militares apoiem o trabalho da polícia para colocar ordem na cidade, segundo autoridades locais.

Imagens da mídia paraguaia mostraram o edifício da empresa completamente destruído pelas explosões, que afetaram também residências nos arredores. O bando entrou em confronto com a polícia e ateou fogo a diversos automóveis em sua fuga após o assalto à companhia de transporte de valores, disse a jornalistas o procuradora Denise Duarte.

"Foram duas horas em que a polícia não podia chegar ao local", afirmou Duarte. "Foi dificílimo porque havia franco-atiradores e porque incendiaram veículos na entrada da delegacia para não permitir a saída de reforços".

O policial morto foi identificado como Sabino Ramón Benítez, agente especial que trabalhava na região.

Um assessor da Prosegur não confirmou a quantidade de dinheiro roubada, mas garantiu que o valor é muito inferior aos 40 milhões de dólares citados por alguns meios de comunicação.

Ciudad del Este, a segundo maior cidade do Paraguai e capital do Departamento Alto Paraná, é localizada a 350 quilômetros de Assunção na região da tríplice fronteira entre Paraguai, Brasil e Argentina. A região ganhou fama no passado como local de contrabando e falsificações.

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765)) REUTERS TR RBS

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters