Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

LONDRES (Reuters) - O fundador do Wikileaks, Julian Assange, disse nesta sexta-feira que está preparado para conversar com o Reino Unido e com os Estados Unidos após a Suécia arquivar a investigação de uma acusação de estupro contra ele, mas defendeu seu direito de continuar na embaixada do Equador em Londres.

Aparecendo na sacada da embaixada no centro da capital britânica, onde passou cinco anos, Assange criticou os governos do Ocidente, mas disse estar preparado para começar a dialogar com Londres e Washington.

"Minha equipe legal entrou em contato com autoridades do Reino Unido e nós esperamos começar um diálogo sobre qual é o melhor caminho a seguir", disse Assange após levantar um punho fechado em gesto de vitória.

"Embora tenham sido feitos comentários extremamente ameaçadores, estou sempre feliz em dialogar com o Departamento de Justiça sobre o que aconteceu".

(Reportagem de Costas Pitas)

Reuters