Reuters internacional

Soldados do governo durante combate com militantes na cidade de Marawi, nas Filipinas. 01/06/2017 REUTERS/Romeo Ranoco

(reuters_tickers)

Por Tom Allard e Neil Jerome Morales

MARAWI/MANILA (Reuters) - Um ataque aéreo a rebeldes islâmicos escondidos em uma cidade no sul das Filipinas deixou 11 soldados do governo mortos, informaram as Forças Armadas nesta quinta-feira, em um golpe para um Exército que enfrenta dificuldades para pôr fim a sua maior crise de segurança interna em anos.

O acidente aconteceu na quarta-feira, quando um dos dois aviões que estavam bombardeando as posições rebeldes errou o alvo no centro da cidade de Marawi, onde soldados enfrentavam militantes pró-Estado Islâmico no décimo dia de batalhas de rua.

O erro de bombardeio aconteceu durante a primeira ofensiva de mobilização de aeronaves de asa fixa da operação, que tinha como alvo expulsar militantes armados do Estado Islâmico que desafiaram as expectativas sobrevivendo a dias de combates no terreno e ataques com helicópteros.

"Algumas vezes na neblina da guerra muitas coisas podem acontecer. Acidentes acontecem, como esse", disse o secretário da Defesa, Delfin Lorenzana, em coletiva de imprensa.

Reuters

 Reuters internacional