Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Urnas em centro de contagem de votos em Mombasa, no Quênia 09/08/2017 REUTERS/Siegfried Modola

(reuters_tickers)

ISIOLO, Quênia (Reuters) - Uma pessoa morreu quando uma gangue usando facões atacou um posto de contagem de votos no município costeiro de Tana River, no Quênia, nesta quarta-feira, e a polícia matou a tiros dois agressores, disse uma testemunha.

O funcionário eleitoral morto estava trabalhando para o partido governista Jubilee, disse o morador Hassan Barisa. A polícia confirmou as mortes.

Nesta quarta-feira, a comissão eleitoral do Quênia rejeitou as reivindicações do líder da oposição, Raila Odinga, de que seus sistemas e sites foram pirateados para produzir uma liderança "fictícia" para o rival de Odinga, o presidente Uhuru Kenyatta.

Protestos ocorreram em redutos da oposição na capital, Nairóbi, e na cidade ocidental de Kisumu, enquanto a contagem dos votos das eleições de terça-feira continuava.

A comissão eleitoral classificou as eleições de livres e justas.

(Reportagem de Noor Ali em Isiolo e Joseph Akwiri em Mombasa)

Reuters