Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Fumaça é vista em quartel-general de Gardez, após ataque reivindicado pelo Taliban, no Afeganistão 17/10/2017 REUTERS/Stringer

(reuters_tickers)

Por Mirwais Harooni

CABUL (Reuters) - Um homem-bomba e homens armados do Taliban atacaram um quartel de polícia no Afeganistão nesta terça-feira, deixando ao menos 33 mortos, incluindo o chefe da polícia, e 160 feridos, no mais letal em uma série de ataques pelo país, informaram autoridades e militantes.

O ataque teve como alvo um centro de treinamento policial anexo ao quartel-general de Gardez, capital da província de Paktia, e acredita-se que o número de mortes deve aumentar.

Ao menos cinco agressores também morreram, afirmou o Ministério do Interior em comunicado.

Três autoridades disseram à Reuters que o chefe da polícia da província está entre os mortos. Civis e agentes de segurança morreram, disse o vice-diretor de saúde pública, Hedayatullah Hameedi.

O Taliban, que está buscando impor novamente uma lei islâmica rigorosa no país após ser expulso por forças lideradas pelos EUA em 2001, reivindicou responsabilidade pelo ataque.

O grupo militante também atacou um centro distrital na província vizinha de Ghazni, nesta terça-feira, em uma ofensiva que incluiu a explosão de veículos blindados perto do gabinete do governador da província.

Autoridades da província disseram que ao menos 15 agentes de segurança do governo morreram e que 12 ficaram feridos nos ataques em Ghazni, com 13 civis mortos e sete feridos.

O Taliban disse que matou 31 agentes das forças de segurança e deixou 21 feridos nesse ataque.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters