Reuters internacional

PARIS (Reuters) - Supostos ataques químicos mataram pelo menos 100 pessoas na província síria de Idlib, controlada por rebeldes, nesta terça-feira e deixaram outros 400 sofrendo de problemas respiratórios, informou um grupo de assistência médica na Síria.

É provável que o número de mortes aumente, de acordo com a União das Organizações de Cuidados Médicos, uma coalizão de agências internacionais de socorro que patrocina hospitais na Síria e que é parcialmente baseada em Paris.

O grupo disse que a cidade de Khan Sheikhoun, no sul de Idlib, foi inicialmente atingida antes dos ataques no centro de serviços de emergência dos Capacetes Brancos, em Khan Sheikhoun e no hospital Al-Rahme.

"Nós vimos mais de 40 ataques desde 06h30", informou o grupo. "O número de mortes continua a crescer, assim como o número de ataques na região de Idlib e assim como os ataques não químicos em Hama", disse o grupo.

(Reportagem de John Irish)

Reuters

 Reuters internacional