Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Sharaffuddin Sharafyar
HERAT, Afeganistão (Reuters) - Um homem-bomba matou 17 pessoas na sexta-feira no sudoeste do Afeganistão, enquanto outro ataque nos arredores de Cabul assassinou cinco seguranças de um parlamentar que sobreviveu, segundo autoridades.
O governador da província de Farah, no sudoeste, Rohul Amin, afirmou que um homem-bomba detonou explosivos sobre uma moto numa parte movimentada da Cidade de Farah, matando 17 pessoas e ferindo 29.
O chefe da polícia local disse que o alvo do ataque era um outro oficial da polícia, que foi morto junto com dois seguranças.
Em um outro incidente, o parlamentar Abdul Rasul Sayyaf, que dirige um partido islâmico e teve papel de destaque no combate à ocupação soviética, escapou ileso da explosão que matou cinco guarda-costas, segundo uma fonte policial.
A bomba estava colocada sob uma ponte por onde a comitiva dele passou, na localidade de Paghman, perto de Cabul.
A violência no Afeganistão atingiu seu maior nível desde o início da ocupação norte-americana, há oito anos. Cerca de 1.500 civis morreram entre janeiro e agosto deste ano, segundo a ONU.
Os novos ataques ocorrem um dia depois do início do segundo mandato do presidente Hamid Karzai, que prometeu no discurso de posse que dentro de cinco anos as forças locais terão condições de substituir o contingente estrangeiro. Há cerca de 110 mil soldados estrangeiros no país, sendo 68 mil norte-americanos, e Washington ainda cogita o envio de até 40 mil reforços.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters