Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Policial visto durante operação em Mogadíscio, Somália. 07/02/2017 REUTERS/Feisal Omar

(reuters_tickers)

BOSASSO, Somália (Reuters) - Atiradores abriram fogo nesta quarta-feira em um hotel na capital da região semi-autônoma de Puntland, na Somália, matando quatro guardas, disse uma autoridade local.

Em um país repleto de armas, não estava imediatamente claro quem eram os autores do ataque na cidade portuária de Bosasso. A autoridade culpou militantes islâmicos do Al Shabaab, mas um porta-voz do grupo negou envolvimento.

"Três combatentes do Al Shabaab invadiram o International Village Hotel nesta manhã. Quatro guardas e dois dos agressores morreram no confronto", disse o governador da região de Bari, Yusuf Mohamed, à Reuters. Ele disse que militantes não conseguiram entrar no hotel, que é popular entre estrangeiros.

O porta-voz de operações militares do Al Shabaab, xeique Abdiasis Abu Musab, disse à Reuters: "Não estamos por trás do ataque no hotel em Bosasso. Isto é propaganda".

O Al Shabaab realiza regularmente ataques na Somália, mas geralmente foca na capital, Mogadíscio, e outras regiões controladas pelo governo federal.

(Reportagem de Abdiqani Hassan, Abdi Sheikh e Feisal Omar)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters