Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Irene Klotz
CABO CANAVERAL, Flórida (Reuters) - O ônibus espacial Atlantis deixou a Estação Espacial Internacional nesta quarta-feira, após uma estadia de sete dias para entregar equipamentos que manterão a estação operando após o encerramento do programa de ônibus espaciais norte-americanos, no próximo ano.
A engenheira de voo da estação espacial Nicole Stott se juntou aos seis astronautas do Atlantis para a viagem de retorno. A previsão é que ela seja a última tripulante da estação a pegar carona no ônibus. O Atlantis é aguardado de volta ao Centro Espacial Kennedy, na Flórida, na sexta-feira.
"Obrigado por uma grande missão", disse a Stott o comandante da estação, Jeff Williams, falando pelo rádio, quando o ônibus se preparava para partir, às 7h53 (horário de Brasília). "Boa viagem."
Os EUA vão aposentar sua frota de três ônibus espaciais em 2010, após outras cinco missões para completar a construção e o equipamento da estação espacial de 100 bilhões de dólares. Projeto conjunto de 16 países, a estação passará a ser abastecida por espaçonaves de carga russas, europeias e japonesas, nenhuma das quais tem capacidade para transportar as bombas, os tanques e os giroscópios pesados levados pelos ônibus espaciais.
Os astronautas passarão a voar exclusivamente em cápsulas Soyuz russas, ao custo de cerca de 50 milhões de dólares por assento.
Os EUA vêm desenvolvendo uma nave para tomar o lugar dos ônibus espaciais, mas ela não deve ficar pronta antes de 2015 ou mais. Um comitê de avaliação convocado pela administração Obama para rever os programas espaciais humanos da Nasa determinou que a nova nave não ficará pronta antes de 2017.
Além de voar até a estação, que atualmente tem verba para funcionar apenas até 2015, as novas naves estão sendo projetadas para levar astronautas à Lua e outros destinos no sistema solar. Mas o programa está sendo revisto.
A partida de Stott se dá seis dias antes do retorno previsto à Terra de três outros tripulantes da estação, deixando o complexo com apenas dois tripulantes pela primeira vez desde 2006. Novos tripulantes devem chegar em 23 de dezembro. Apenas em março a estação voltará a ter tripulação completa de seis membros.
Durante a missão do Atlantis, os astronautas fizeram três passeios no espaço para instalar antenas, experimentos científicos e outras tarefas. Eles estão levando de volta o sistema de reciclagem de urina da estação, que purifica urina para convertê-la em água potável e que está quebrado.
Também estão sendo levados de volta à Terra seis camundongos que estavam na estação desde o final de agosto, para uso em experimentos científicos. Três deles morreram no espaço, mas os cientistas não têm certeza do porquê.
A próxima viagem da Nasa até a estação está prevista para fevereiro.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters