Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Julia Harte

WASHINGTON (Reuters) - O chefe do Escritório de Ética do Governo dos Estados Unidos, que discutiu com o presidente Donald Trump e seu governo, disse nesta quinta-feira que irá renunciar antes do fim de seu mandato de cinco anos, em janeiro, para assumir outro emprego.

Em uma carta a Trump datada desta quinta-feira e publicada em sua conta no Twitter, Walter Shaub disse que irá renunciar do monitor de ética a partir de 19 de julho e elogiou sua equipe pelo comprometimento às leis e princípios éticos acima de interesses privados.

Shaub soou diversos alarmes sobre envolvimentos comerciais do governo Trump. Ele pediu a Trump para se afastar de seu império comercial, em vez de entregar a administração para seus filhos, e repreendeu a Casa Branca por não disciplinar a assessora presidencial Kellyanne Conway após ela endossar uma marca de roupas vendida por Ivanka Trump, filha do presidente.

Shaub disse em entrevista ao Washington Post publicada nesta quinta-feira que não foi pressionado a sair, mas sentiu que não poderia alcançar mais no escritório de ética sob o governo Trump.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters