Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Daria Sito-Sucic
SARAJEVO (Reuters) - Pesquisadores dos crimes cometidos durante a guerra da Bósnia, entre 1992 e 1995, apresentaram nesta terça-feira um 'atlas de crimes de guerra' do conflito, dizendo que ele deve ajudar as pessoas a aprender sobre os fatos e entender melhor o passado.
O atlas, disponível em www.idc.org.ba, contém mapas que usam a tecnologia Google Earth, permitindo que sejam encontrados locais de execuções em massa e onde foram abertas covas coletivas na Bósnia, junto aos nomes das vítimas, assim como documentos dos tribunais disponíveis.
O site foi lançado no dia em que o ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic, acusado de ter planejado a guerra, apareceu perante o tribunal de Haia, temporariamente abrindo mão de seu boicote ao julgamento.
"O atlas dos crimes de guerra bósnios é um depositório amplo de fatos sobre os eventos da guerra", disse Mirsad Tokaca, diretor do Centro de Pesquisa e Documentação (RDC), uma organização sediada em Sarajevo que criou o atlas digital.
"Ele é necessário para nos ajudar a enfrentar o passado, um processo que até agora tem estado sob o monopólio de várias elites para seus próprios propósitos", disse Tokaca em uma coletiva de imprensa, dizendo que o atlas fornecia apenas fatos, sem interpretá-los.
O atlas identificou 50 mil locais onde ocorreram atrocidades na guerra, acompanhados de fotos e vídeos dos eventos.
"Não sugerimos a ninguém o que devem pensar. Oferecemos os fatos sobre os eventos --o que chamamos de uma geografia dos crimes", disse Tokaca.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters