Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Maritza Garrido Lecca, bailarina peruana flagrada escondendo líder do grupo rebelde Sendero Luminoso em 1992, deixa a prisão, em Lima 11/09/2017 REUTERS/Guadalupe Pardo

(reuters_tickers)

Por Guadalupe Pardo e Marco Aquino

LIMA (Reuters) - Uma bailarina peruana que foi flagrada escondendo o líder do grupo rebelde Sendero Luminoso em seu apartamento em 1992 foi libertada da prisão na segunda-feira, depois de concluir sua pena de 25 anos de reclusão.

Maritza Garrido Lecca, de 52 anos, saiu de uma prisão nos arredores de Lima sorrindo. Maritza é a mais recente de uma leva de ex-militantes libertados, e sua soltura despertou o temor de tumultos.

Criada em um lar católico abastado da capital Lima, Maritza surpreendeu seus conterrâneos quando autoridades descobriram que o homem mais procurado do país, Abimael Guzmán, estava vivendo em segredo no segundo andar de seu apartamento, acima do estúdio onde ela dava aulas de balé e dança moderna.

Sua história inspirou o filme "Guerrilha Sem Face", dirigido por John Malkovich em 2002, que mostrou o tipo de trabalho de investigação paciente que levou à captura de Guzmán.

Guzmán criou o Sendero Luminoso em 1980 com o objetivo de derrubar o Estado, o que se tornaria um dos conflitos internos mais violentos da América Latina.

Estima-se que 69 mil pessoas foram mortas durante a batalha de duas décadas entre forças de segurança do governo e insurgentes de esquerda. A maioria das vítimas foi de camponeses pobres que Guzmán esperava que abraçassem seus planos para uma rebelião armada.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters