Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por James Pearson e Jack Kim

SEUL (Reuters) - Os Estados Unidos usaram dois bombardeiros supersônicos B-1B para sobrevoar a península coreana em uma demonstração de força neste domingo após os recentes testes de mísseis balísticos intercontinentais (ICBM) da Coreia do Norte, disseram as forças aéreas dos EUA e da Coreia do Sul.

A Coreia do Norte disse que realizou uma prova bem-sucedida de um míssil balístico intercontinental na sexta-feira que provou sua capacidade de atacar o continente norte-americano, em um forte alerta ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

O voo dos B-1B foi uma resposta direta ao teste de mísseis e ao lançamento do foguete "Hwansong-14", de 3 de julho, segundo um comunicado dos Estados Unidos. A força aérea sul-coreana disse que o voo foi realizado no início do domingo.

Os bombardeiros decolaram de uma base aérea dos EUA em Guam, e foram acompanhados por jatos japoneses e sul-coreanos durante o exercício, de acordo com o comunicado.

"A Coreia do Norte continua a ser a ameaça mais urgente para a estabilidade regional", disse o comandante das Forças Aéreas do Pacífico, Terrence J. O'Shaughnessy, no comunicado. "Se convocados, estamos prontos para responder com força rápida, letal e esmagadora em um momento e lugar de nossa escolha."

Os EUA já utilizaram sobrevoos de bombardeiro supersônico B1-B "Lancer" como demonstração de força em resposta a lançamentos de mísseis norte-coreanos ou a testes nucleares.

(Reportagem de James Pearson)

Reuters