Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

TANTA/CAIRO (Reuters) - Pelo menos 43 pessoas morreram e mais de 100 ficaram em atentados a bomba em duas igrejas coptas egípcias no Domingo de Ramos, nas últimas ações contra a minoria religiosa cada vez mais atacada pelos militantes islâmicos.

O Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelos ataques, que ocorreram uma semana antes da Páscoa copta e no mesmo mês que o papa Francisco tem programada uma visita ao Egito.

A primeira bomba, em Tanta, uma cidade no delta do Nilo a menos de cem quilômetros do Cairo, destruiu o interior da Igreja de São Jorge durante o serviço do Domingo de Ramos, matou pelo menos 27 pessoas e deixou pelo menos 78 feridos, disse o Ministério da Saúde do Egito.

O segundo ataque, realizado poucas horas depois por um homem-bomba em Alexandria, atingiu o local histórico do papa copta, matando 16 pessoas, incluindo três policiais, e ferindo 41, afirmou o ministério.

O papa Tawadros estava no edifício no momento da explosão, mas nada sofreu, segundo o Ministério do Interior.

Os ataques se dão quando o ramo do Estado Islâmico no Egito parece intensificar as ações e ameaças contra cristãos.

(Por Arwa Gaballa e Ahmed Tolba; reportagem adicional de Ahmed Mohamed Hassan, Mahmoud Mourad Mohammed Abdellah e Amina Ismail)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters