Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Helicóptero lança água para apagar incêndio florestal nas redondezas de Metochi, ao norte de Atenas 15/08/2017 REUTERS/Giorgos Moutafis

(reuters_tickers)

Por Phoebe Fronista e Alkis Konstantinidis

ATENAS (Reuters) - Bombeiros enfrentaram um incêndio florestal no nordeste da capital da Grécia pelo terceiro dia nesta terça-feira, tentando impedir que o fogo que consumiu milhares de hectares de uma floresta de pinheiros se alastre mais.

O incêndio próximo de Atenas começou em Kalamos, ilha turística situada cerca de 45 quilômetros ao nordeste da capital, e se espalhou por mais três cidades, danificando dezenas de casas. Um estado de emergência foi decretado na área.

"Estamos tentando conter as frentes ativas, e a maior prioridade é a proteção da vida humana", disse a porta-voz dos bombeiros, Stavroula Maliri, em um boletim à imprensa.

Três aviões de combate de incêndio e seis helicópteros que lançam água trabalharam até de manhã, assistindo 180 bombeiros e cerca de 100 efetivos militares que lutam contra as chamas perto da cidade de Kapandriti.

O terreno irregular e repleto de comunidades pequenas torna o combate ao fogo difícil, e ventos reacendem as chamas em muitos locais. As colunas espessas de fumaça também dificultaram o combate ao fogo pelo ar.

Por precaução, as autoridades ordenaram uma retirada em dois campos de verão e em casas na área e esvaziaram um monastério depois que o fogo chegou à cerca do edifício na segunda-feira. Centenas de moradores de Kalamos fugiram, passando a noite na praia.

Ainda na segunda-feira os bombeiros enfrentaram mais de 90 incêndios florestais no país, um foco atiçado por ventos secos e pelo clima quente que provocou chamas perto de Atenas, no Peloponeso, e nas ilhas jônicas de Zaquintos e Cefalônia.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters