Por Julien Pretot

PARIS (Reuters) - A primeira iraniana a disputar uma luta oficial de boxe cancelou os planos de voltar para casa depois que um mandado de prisão foi emitido contra ela em Teerã, disse sua representante nesta quarta-feira, mas autoridades iranianas negaram a informação.

Sadaf Khadem venceu a pugilista francesa Anne Chauvin em uma luta que ocorreu no oeste da França no sábado.

Sua representante, Clara Dallay, disse à Reuters que autoridades iranianas emitiram mandados de prisão contra a lutadora e o organizador de lutas Mahyar Monshipour.

Monshipour, campeão mundial de boxe nascido no Irã e atual cidadão francês, organizou a luta após o Irã permitir que as mulheres lutassem.

Hossein Soori, chefe da Federação de Boxe do Irã, negou que Khadem seria presa, atribuindo a informação à "mídia ligada à Arábia Saudita".

"A Sra. Khadem não é membro dos atletas organizados (do Irã) para o boxe e, do ponto de vista da Federação de Boxe, todas as atividades dela são pessoais", disse ele à agência de notícias semioficial Isna.

A participação das mulheres iranianas em eventos esportivos é fortemente restrita, embora as autoridades estejam começando a ceder em algumas áreas após anos de campanhas pressionadas por grupos de direitos das mulheres.

A federação agora permite que as mulheres se registrem para lutar, desde que sejam treinadas por uma mulher e usem o hijab islâmico enquanto competem.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.