Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Mulher deixa mensagem em mural em Kuala Lumpur de apoio a passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, que desapareceu quando voava da Malásia para Pequim. 16/03/2014 REUTERS/Damir Sagolj/Files

(reuters_tickers)

Por Tom Westbrook e Jonathan Barrett

SYDNEY (Reuters) - As buscas em mar profundo pelo avião desaparecido do voo MH370, da Malaysia Airlines, terminaram nesta terça-feira sem quaisquer traços encontrados da aeronave, que desapareceu em 2014 com 239 pessoas a bordo, disseram os três países envolvidos nas buscas.

A localização do voo MH370 se tornou um dos maiores mistérios da aviação desde que o avião, um Boeing 777, desapareceu quando voava da capital da Malásia, Kuala Lumpur, para Pequim.

"Apesar de todos os esforços, usando a melhor ciência disponível... as buscas não conseguiram localizar a aeronave", disseram autoridades da Malásia, Austrália e China em comunicado.

"A decisão de suspender a busca submarina não foi tomada facilmente ou sem tristeza".

O último navio de buscas deixou a área nesta terça-feira, disseram os três países, após vasculhar uma área de 120 mil quilômetros quadrados no fundo do mar do Oceano Índico, que se tornou o foco de quase toda a busca de quase três anos.

Malásia, Austrália e China concordaram em julho em suspender a busca de 145 milhões de dólares caso o avião não fosse encontrado ou se novas evidências que pudessem oferecer uma pista sobre o paradeiro não fossem descobertas, uma vez que a área já havia sido checada.

A Austrália rejeitou no mês passado uma recomendação de investigadores para levar as buscas mais ao norte, dizendo que nenhuma nova evidência surgiu para apoiar a ação.

Reuters