Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

U.S. President Barack Obama delivers remarks about health insurance marketplace enrollments and the Affordable Care Act, commonly known as Obamacare, in Milwaukee, Wisconsin March 3, 2016. REUTERS/Jonathan Ernst

(reuters_tickers)

Por Richard Cowan e Susan Cornwell

WASHINGTON (Reuters) - Deputados republicanos dos Estados Unidos aprovaram nesta sexta-feira uma medida iniciando o processo de desmantelamento do Obamacare nos Estados Unidos, apesar das preocupações por não haver um programa substituto pronto e pelo potencial custo financeiro de revogar a lei de seguro saúde que é marca do governo do presidente Barack Obama.

A Câmara decidiu por 227 a 198 votos orientar comitês para a elaboração de uma lei até o dia 27 de janeiro que revogaria a legislação de assistência de saúde de 2010, o chamado Obamacare. O Senado havia aprovado a mesma medida na quinta-feira.

Nenhum democrata apoiou a iniciativa.

Com a votação, os republicanos começaram a cumprir a promessa de terminar com o Obamacare, o que também foi uma promessa de campanha do presidente eleito Donald Trump.

O programa, que ampliou a cobertura de saúde para cerca de 20 milhões de pessoas, tem sido afetado pelos aumentos nos prêmios e franquias de seguros e pela saída de grandes seguradoras do sistema.

A resolução aprovada pela Câmara e pelo Senado não precisa do aval presidencial, uma vez que é parte do processo orçamentário interno do Congresso. Contudo, quando a lei de revogação do Obamacare for elaborada, as duas Casas terão que aprová-la, e a assinatura presidencial será necessária.

Reuters