Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Trump durante evento em Washington 27/4/2017 REUTERS/Carlos Barria

(reuters_tickers)

Por Yeganeh Torbati

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos emitiram cerca de 40 por cento menos vistos temporários em março para cidadãos de sete países afetados pelos banimentos temporários de viagens feitos pelo presidente Donald Trump do que emitiram em uma média mensal no ano passado, de acordo com análises da Reuters de dados preliminares do governo divulgados nesta quinta-feira.

Ao mesmo tempo, os dados indicam que um total de vistos norte-americanos para não imigrantes emitidos para pessoas de todos os países cresceu quase 5 por cento em março comparado à média mensal de 2016.

Cidadãos de sete países de maioria muçulmana sob o banimento – Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen – receberam cerca de 3.200 vistos de não imigrantes em março de 2017, comparado a cerca de 5.700 em média por mês durante o ano fiscal de 2016 e mais de 6 mil em média por mês em 2015 e 2014. Os banimentos de viagens feitos por Trump foram posteriormente bloqueados por tribunais.

O Departamento de Estado divulgou os dados para cumprir com instruções de Trump pedindo para o departamento publicar as divisões mensais do número de vistos emitidos ao redor do mundo.

O departamento não divulgou dados do número total de todos os tipos de pedidos de vistos, então é incerto se o número mais baixo de vistos temporários para cidadãos dos sete países é por conta de uma taxa mais alta de rejeições ou outros fatores, como menores requerentes ou processos mais demorados.

Uma autoridade do Departamento de Estado destacou que a “demanda de vistos é cíclica, não uniforme durante o ano, e afetada por vários fatores em nível local e internacional. Números de emissão de vistos tendem a crescer durante auge de temporadas de viagens, como durante as férias de verão e inverno”.

A Casa Branca não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Março não é um mês atarefado ou lento para emissão de vistos temporários para pessoas dos sete países, disseram diversos advogados de imigração. Logo, as quedas significativas são notáveis, disseram.

Os dados são preliminares e números podem estar sujeitos a pequenas revisões, informou o Departamento de Estado.

Previamente, tais dados eram somente disponíveis em agregado por ano fiscal e o departamento se negou a detalhar dados de vistos de março de anos anteriores.

Não obstante, alguns advogados de imigração disseram que a divulgação dos números nesta quinta-feira dão uma ideia de como as políticas de Trump estão afetando as decisões de vistos.

“Ou há muito menos pessoas aplicando porque acreditam que serão negadas, ou uma taxa muito mais alta de negações já está acontecendo mesmo embora os decretos presidenciais tenham sido bloqueados”, disse o presidente da Associação de Advogados de Imigração Americanos, William Stock.

Trump, que havia dito que os banimentos de viagens tinham propósito de proteger norte-americanos de ataques terroristas, assinou um decreto presidencial em 27 de janeiro barrando pessoas de sete países de entrarem nos EUA por 90 dias.

O decreto foi bloqueado por tribunais federais e o governo Trump substituiu a ordem por um banimento revisado e restrito efetivado em 16 de março que tirou o Iraque da lista. Tribunais também suspenderam partes do segundo decreto.

(Reportagem adicional de Mica Rosenberg e Julia Edwards Ainsley)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters