Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

SINGAPURA (Reuters) - O calor extremo ao longo de grandes partes do hemisfério norte aumentou os temores para plantações na China, desencadeou incêndios florestais em Portugal e no extremo leste da Rússia, forçou cancelamentos de voos no sudoeste dos EUA e derreteu asfalto em estradas da Inglaterra.

Nesta quarta-feira, dia do solstício de verão --o dia mais longo do ano-- meteorologistas disseram que as temperaturas deveriam alcançar 37 graus Celsius em Paris, 38 graus Celsius em Madrid e 34 graus Celsius em Londres, com alerta para trovoadas.

Arredondando as temperaturas recordes estabelecidas nos últimos dois meses, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) disse que a Terra estava passando por "outro ano excepcionalmente quente" e que as ondas de calor estavam anormalmente precoces.

"Partes da Europa, Oriente Médio, Norte da África e Estados Unidos tiveram temperaturas extremamente altas em maio e junho, com uma série de recordes quebrados", disse a OMM nesta terça-feira.

A tendência vista durante os últimos dois meses colocou as temperaturas médias mensais globais entre as mais altas já registradas desde que os dados começaram a ser coletados em 1880.

Na China, maior produtor de grãos do mundo, as condições quentes e secas no principal cinturão de milho atrasaram o plantio e comprometeram o desenvolvimento da lavoura, especialmente na província de Liaoning, onde a umidade do solo está em seus menores níveis em ao menos cinco anos.

(Por Henning Gloystein; reportagem adicional de Gavin Maguire, Colin Packham e Hallie Gu)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters