Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por David Ljunggren

CALGARY, Alberta, Canadá (Reuters) - O Canadá se concentrará na preservação de seus laços comerciais com os Estados Unidos durante conversas para renegociar o Nafta e pode não ser capaz de ajudar o México a evitar ser alvo do governo do presidente norte-americano Donald Trump, dizem fontes do governo canadense.

"Nós amamos nossos amigos mexicanos, mas nossos interesses nacionais vêm em primeiro lugar e a amizade vem em segundo lugar", disse uma fonte durante retiro dos membros do governo em Calgary, Alberta.

"Os dois não são mutuamente exclusivos", acrescentou a fonte.

Os comentários estão entre os mais duros de autoridades canadenses, que estão cada vez mais convencidas de que o México vai sofrer o maior dano por mudanças no Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta, em inglês).

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse no domingo que planeja conversações para iniciar a renegociação do Nafta, sob o qual o Canadá e o México enviam a maior parte de suas exportações para os Estados Unidos.

As fontes canadenses afirmam que Ottawa não tomou nenhuma decisão final sobre como abordar as negociações do Nafta, uma vez que a posição de Trump é amplamente desconhecida.

O governo rejeitou a ideia de que o Canadá abandonará formalmente o México. A chanceler Chrystia Freeland disse na terça-feira que o Canadá apoiou o Nafta como um acordo trilateral e ressaltou que o primeiro-ministro Justin Trudeau conversou com o presidente mexicano Enrique Peña Nieto no fim de semana.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters