Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Reuters) - O Estado norte-americano da Carolina do Norte anulou nesta quinta-feira uma lei regulando uso de banheiros para pessoas transgênero, esperando atrair de volta empresas e ligas esportivas que boicotaram o Estado após verem a medida de um ano como discriminatória.

O governador Roy Cooper, democrata, assinou o projeto de substituição como lei após o Senado e Câmara dos Deputados, controlados pelos republicanos, aprovarem a lei em votações separadas anteriormente no dia na capital do Estado, Raleigh.

É incerto se a legislação será suficiente para trazer de volta jogos de basquete, shows, companhias financeiras e de tecnologia que abandonaram a Carolina do Norte, custando centenas de milhões de dólares à economia.

A nova medida anula o Projeto de Lei da Câmara 2, projeto de lei que requer que pessoas transgênero usem em prédios estatais banheiros, provadores e chuveiros que correspondam ao gênero designado na certidão de nascimento, e não ao qual se identificam.

Mas a medida também proíbe cidades e distritos escolares de promulgarem suas próprias medidas anti-discriminação por quase quatro anos, um compromisso que gerou duras críticas de grupos de direitos civis e LGBT.

Sob a nova lei, pessoas transgênero têm liberdade de usar o banheiro de preferência, mas também lhes faltam recursos caso qualquer pessoa, empresa ou entidade estatal rejeitem-nas.

(Reportagem de Colleen Jenkins, na Carolina do Norte, e Daniel Trotta, em Nova York)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters