Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Kellyanne Conway faz discurso em Washington. 27/1/2017. REUTERS/Yuri Gripas

(reuters_tickers)

WASHINGTON (Reuters) - A Casa Branca deve investigar o endosso público dado por Kellyanne Conway, conselheira sênior do presidente Donald Trump, aos produtos de Ivanka Trump e considerar uma ação disciplinar, disse o gabinete de ética do governo dos EUA em uma carta nesta terça-feira.

Os comentários de Conway na semana passada depois que a varejista Nordstrom anunciou que estava retirando a marca da filha de Trump, Ivanka, de suas lojas provocou críticas de parlamentares republicanos e democratas em meio à preocupação de que ela tenha violado regras éticas.

"Há fortes razões para acreditar que a sra. Conway violou os padrões de conduta e que a ação disciplinar é justificada", disse a carta.

A Casa Branca não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

As regras federais de ética proíbem os empregados do executivo de usar suas posições para endossar produtos ou para o ganho privado de amigos. A lei não se aplica ao presidente.

"Vá comprar as coisas da Ivanka ... Eu vou comprar algumas hoje mesmo", disse Conway à Fox News em entrevista na Casa Branca. "Eu vou fazer um comercial de graça aqui: Vá comprar hoje, todo mundo."

Conway fez os comentários na quinta-feira, um dia após o próprio Trump atacou a Nordstrom por deixar de vender a marca de sua filha.

(Reportagem de Doina Chiacu e Timothy Ahmann)

Reuters