Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Donald Trump durante reunião com presidente peruano Kuczynski. 24/2/2017. REUTERS/Yuri Gripas

(reuters_tickers)

WASHINGTON (Reuters) - A Casa Branca excluiu vários grandes veículos de imprensa dos Estados Unidos, incluindo alguns os quais já criticou abertamente, de um briefing com o secretário de imprensa da Casa Branca nesta sexta-feira, disseram representantes das empresas.

Repórteres da CNN, The New York Times, Politico, The Los Angeles Times e BuzzFeed não tiveram permissão para participar da sessão no escritório do secretário de imprensa Sean Spicer.

O bate-papo informal de Spicer, sem câmeras, substituiu a habitual coletiva de imprensa televisionada nesta sexta-feira na Casa Branca. Ele não disse porque essas organizações específicas foram excluídas, decisão que gerou fortes protestos.

A Reuters participou do briefing, junto com outros 10 veículos de imprensa, incluindo a Bloomberg e a CBS.

Spicer disse que sua equipe decidiu ter uma reunião menor em seu escritório ao invés de uma grande coletiva na sala de imprensa da Casa Branca.

"Nosso trabalho é garantir que sejamos receptivos às pessoas na imprensa. Queremos garantir que vamos responder suas perguntas, mas não precisamos fazer isso em frente às câmeras todos os dias", disse ele.

(Por Ayesha Rascoe e Steve Holland)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters