Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Agentes da polícia regional da Catalunha, em frente à Assembleia regional em Barcelona, Espanha 10/10/2017 REUTERS/Gonzalo Fuentes

(reuters_tickers)

Por Angus Berwick

BARCELONA (Reuters) - A polícia reforçou a segurança no Parlamento catalão, nesta terça-feira, à medida que o líder da região, Carles Puigdemont, se prepara para falar a uma sessão que pode declarar de maneira unilateral a independência da Catalunha do restante da Espanha, apesar de alertas de Madri sobre contramedidas.

Puigdemont, um ex-jornalista de 54 anos, realizou uma reunião do governo local na manhã desta terça-feira para decidir como avançar com um impulso de independência que despertou fortes emoções na região e causou preocupação em Estados parceiros da Espanha da União Europeia.

A polícia catalã, armada com fuzis automáticos, montou guarda no Parc de la Ciutadella, em Barcelona, que abriga o Parlamento regional;. A polícia nacional espanhola, criticada por separatistas devido ao uso de força durante o referendo do dia 1º de outubro, não foi vista.

Uma declaração de independência aprofundaria a maior crise política da Espanha desde uma tentativa de golpe militar em 1981, e quase certamente desencadearia duras contramedidas por parte de Madri, possivelmente incluindo a suspensão do governo regional.

Manifestantes pró-independência devem se reunir em frente ao prédio do Parlamento para o discurso de Puigdemont, marcado para as 13h (horário de Brasília).

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters