Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Andreina Aponte

CARACAS (Reuters) - A ministra das Relações Exteriores da Venezuela, Delcy Rodríguez, chamou o presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, de "covarde" e "cachorro simpático", nesta segunda-feira, ao questionar comentários feitos pelo presidente nos Estados Unidos sobre a crise na Venezuela.

O Peru, por sua vez, rejeitou as observações "insolentes" do governo venezuelano e disse que enviaria uma nota de protesto.

Dias antes, o presidente Nicolás Maduro pediu ao seu homólogo do Peru para se retratar da mensagem sobre a América Latina e a Venezuela feita na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, depois de sua visita a Donald Trump na Casa Branca.

Kuczynski, que tem sido muito crítico sobre a situação da Venezuela, disse que os Estados Unidos não investem muito tempo na América Latina, "porque é como um cachorro simpático que está dormindo no tapete e não cria nenhum problema (...), mas o caso da Venezuela é um grande problema".

O discurso do presidente peruano, um ex-banqueiro de investimento de Wall Street, foi transmitido pela televisão estatal venezuelana.

A ministra das Relações Exteriores da Venezuela respondeu ao presidente peruano em um fórum em Caracas que "o único cachorro simpático que existe é ele (...) que se move na cola do império e pedindo a intervenção na Venezuela".

Em Lima, o chanceler peruano, Ricardo Luna, disse que a frase "era uma expressão idiomática e metafórica usada em ambientes acadêmicos" que foi "mal interpretada" e que não pretendia "santanizar" a América Latina, mas explicar que é uma região sem conflitos nem guerras, diferentemente do Oriente Médio.

A chanceler venezuelana lembrou que, durante a Cúpula das Américas, em Cartagena, reclamou com Kuczynski sobre críticas que ele fez ao governo do falecido presidente Hugo Chávez, mentor político de Maduro.

"Falei: 'Olha, senhor, você é um covarde', e repito aqui, sr. Kuczynski, você é um covarde, que se atreveu a manchar a memória do nosso comandante Hugo Chávez", disse ela.

Reuters