Navigation

Charge australiana causa furor ao retratar Kamala Harris como "moreninha"

Biden e Kamala Harris dão entrevista coletiva 13/08/2020 REUTERS/Carlos Barria reuters_tickers
Este conteúdo foi publicado em 14. agosto 2020 - 16:47

MELBOURNE (Reuters) - Uma charge publicada no maior jornal de circulação nacional da Austrália foi acusada de racismo nesta sexta-feira por mostrar o candidato presidencial democrata norte-americano Joe Biden descrevendo sua colega de chapa, Kamala Harris, como "esta moreninha".

O desenho de Johannes Leak publicado no The Australian, jornal de Rupert Murdoch conhecido por suas posturas conservadoras, retratou um Biden exultante dizendo que Harris, a primeira mulher negra na chapa de um grande partido nacional, ajudará a "curar uma nação dividida pelo racismo" enquanto ele vai "tirar um cochilo".

"É ofensivo e racista", opinou Andrew Giles, político trabalhista australiano de oposição, no Twitter.

O ex-procurador-geral Mark Dreyfus tuitou: "Se The Australian tem algum respeito pela decência e padrões, precisa se desculpar imediatamente, e nunca mais publicar charges como esta."

Mas o editor-chefe do jornal, Christopher Dore, defendeu a charge, dizendo que Leak debochou das palavras do próprio Biden.

"As palavras 'menininhas negras e morenas' pertencem a Joe Biden, não a Johannes, e foram pronunciadas pelo candidato presidencial quando ele indicou Kamala Harris como sua colega de chapa ontem; ele as repetiu em um tuíte pouco depois", escreveu Dore em uma nota à redação do jornal que foi fornecida à Reuters pela News Corp de Murdoch.

Biden tuitou na quinta-feira a respeito da escolha de Harris como sua candidata a vice-presidente: "Hoje de manhã, menininhas acordaram em toda a nação --especialmente menininhas negras e morenas que com tanta frequência podem se sentir ignoradas e subestimadas em nossa sociedade-- possivelmente vendo a si mesmas de uma nova maneira: como matéria-prima de presidentes e vice-presidentes".

Dore disse: "A intenção do comentário de Johannes foi ridicularizar as políticas identitárias e rebaixar o racismo, não perpetuá-lo."

Outra publicação de Murdoch na Austrália foi criticada em 2018 devido a uma charge que mostrou a tenista estelar Serena Williams tendo um ataque de nervos no Aberto dos Estados Unidos.

Fãs, celebridades e grupos de direitos civis classificaram a caricatura de racista, mas no ano passado a agência reguladora da mídia australiana determinou que a charge não foi racista.

(Por Sonali Paul)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447702)) REUTERS AC

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.